terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Fatos sobre a vida de Augusto dos anjos

- Estudou no colégio lyceu Paraibano em João Pessoa na Paraíba.

- Entre 1903 e 1907 estudou Direito no Recife voltando a João Pessoa para lecionar aulas particulares de Literatura Brasileira.

- Durante dois anos deu aulas no Lyceu Paraibano até se desentender com o governados e nesse mesmo ano casou-se com Ester Fialho e após a venda do Engenho de sua família mudou-se para o Rio de Janeiro.

- No Rio de Janeiro lecionou em Cursinhos e na escola regular deu aulas de Geografia também lecionadas no Instituto de educação no Ginásio Nacional.

- Pouco depois foi nomeado professor de Geografia no colégio Pedro II e paralelamente a isso publicava poemas nos jornais periódicos locais.

- Seus poemas tinham escrita forte e versavam sobre a morte além de demonstrarem total indiferença com a religião demonstrando mesmo ironia em relação a ela.

- Teve influências européias em sua obra a exemplo de Herbert Spencer, onde absorveu a incapacidade de se conhecer a essência das coisas e aceitar a evolução da natureza e das coisas.

- Hernest Haeckel também o influenciou com o conceito de que a morte é apenas um puro fato químico. Schopenhauer o inspirou com a idéia de que o aniquilamento por vontade própria seria a única saída para o ser humano.

- Mesmo negando a religião absorveu da Bíblia conhecimento para contrapor os pensamentos dos ideais iluministas e materialistas, sempre de forma agressiva em sua poesia.

- Devido ao contexto de proprietários falindo nas grandes cidades e ex-escravos em total miséria ele via o mundo como uma tragédia. À época foi pouco após a assinatura da lei Áurea.

-

sábado, 7 de dezembro de 2019

Valinókia

Conta a lenda que em um tempo muito antigo Elfos e fadas habitavam o mundo de Yga e perambulavam pelas vastas planícies deste lugar fabuloso e viviam em harmonia com a natureza. Mas os homens que só se preocupavam com poder estavam ocupados tentando lidar com a escassez do ferro  e foi nessa época que os ferreiros começaram a desaparecer da face de Yga. Os sábios magos não estavam gostando do rumo que sua arte havia tomado e do desleixo dos ferreiros na arte então decidiram não mais ensinar o ofício aos homens o que gerou atritos com os governantes. Uma época de dificuldades estava por começar e os magos não anteviram nisso. Yga era um mundo vasto e a Valinókia seu reino mais próspero contudo os ferrerios estavam abandonando esta nação em busca de outras terras. O rei Valacon começava a se preocupar com os destinos do povo e de seu império recorrendo as orientações do mago Mélvin.
- O que sugere que façamos Mélvin?
- deixe-me ver. Meu rei deve procurar pelo ferro em Tíron.
- Tíron é a terra dos dragões como os enfrentarei?
- Existe uma arte, meu rei conhecida por alguns mas que vou revelar. Isso deve ser mantido em absoluto sigilo pois é algo muito poderoso.

Eu canto as velhas canções

Eu canto as velhas canções
do tempo de Thor e de Odin,
quando gigantes habitavam a terra,

eu canto a bravura de homens
que desbravavam o mundo
em busca de glória,

canto as velhas canções
de tempos antigos
e da aurora dos tempos,

em que se combatia
por supremacia
e em louvor aos deuses de outrora!

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Se acumulam

Nas janelas
se acumulam
desejos de bom dia,
e acenos felizes,

nas ruas
as pessoas caminham
felizes
e as crianças cantam,


É dezembro de novo

É dezembro de novo
e o meu coração
não serenou,

as aves já
fizeram a revoada
e as folhas caíram

e novamente nasceram
e mais um dezembro
se faz presente,

Respiro

Um respiro,
uma folga,
um gestual,

vou vivendo
e aprendendo
enquanto

Caminhando a passos livres

Vou caminhando
com tranquilidade
e naturalidade,

sabendo que
a estrada
é leve e prazerosa.