Poesias Pesadas

Licença Creative Commons
O trabalho Poesias Pesadas de Marcio Jung foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em http://paginadomarcio.blogspot.com.br.

terça-feira, 13 de agosto de 2019

O violão maldito 4

          Depois de alguns dias viajando pela estrada e sendo parado pelas pessoas que hora lhe parabenisavam pela bela música e hora lhe perguntavam sobre seu violão ele chegou em casa da viagem em busca do violão perfeito. Já na rodoviária da sua cidade chamou a atenção das pessoas e principalmente das garotas que íam falar com ele a respeito do violão.
- Seu violão é maravilhoso.
- você toca muito bem.
- Ei você não é o rapaz que estava tentando aprender a tocar violão?
- Sim, sou eu mesmo.
- Quando saiu daqui não sabia nada.
- É que encontrei o violão certo.
          E o jovem ía deixando para trás pessoas admiradas com a sua evolução e com a beleza do instrumento além de notarem sua autoconfiança. Ele tinha mesmo atingido em outro nível e isso era indiscutível, chegando mesmo  a assustar quem o viu sair da cidade sem saber praticamente nada de música. Mas como tudo que é muito bom desperta comentários com ele não foi diferente pois as pessoas acharam algo praticamente impossível apesar de ter passado um bom tempo fora.
- Onde você aprendeu a tocar assim, cara?
- Por acaso você fez um pacto?
- Claro que não apenas achei o violão certo, e veja como ele é bonito.
          A primeira coisa que se notava era a beleza do violão alaranjado pérola com símbolos 2 sinais músicais pretos nele. O rapaz havia mesmo achado o violão perfeito para si e agora poderia evoluir na sua arte que estava começando a ser desenvolvida. Seus pais acharam o instrumento maravilhoso e quase não acreditavam na evolução do filho chegando a se perguntar como havia acontecido aquilo e o rapaz sempre respondia que era o violão.

                                                                                                                      C O N T I N U A

Nenhum comentário:

Postar um comentário